Funcionamento e Organização

O Centro Doutor João dos Santos- Casa da Praia funciona de 2ª e 6ª feira, entre as 8h30 e as 17h30, em horário contínuo e está aberto todo o ano.

Tem capacidade para um acompanhamento anual de um máximo de 100 famílias e uma média de 60 crianças.

O trabalho desenvolvido na Casa da Praia tem como suporte uma equipa multidisciplinar, formada por técnicos com formação diversa e, definida como “ conjunto de pessoas que, tendo funções e habilitações diferentes discute, periodicamente, o mesmo caso de forma a aferir pontos de vista, não só técnicos, mas também afetivos” (Santos, 1988, “Casa da Praia – o Psicanalista na escola”, Livros Horizonte).

A equipa é formada por Técnico de Serviço Social, Psicólogo, Psicomotricista, Educadores e Professores Especializados. Tem supervisão semanal de médico pedopsiquiatra e supervisão mensal, de médico pedopsiquiatra/ terapeuta familiar.


A equipa

É em equipa que se definem as hipóteses de intervenção e se elaboram ou reformulam os projetos adequados a cada situação, tendo sempre em conta os parceiros intervenientes. Todos, na sua especificidade, são indispensáveis para uma visão global sobre a criança, a família e os contextos em que se insere.

Na Casa da Praia procura-se criar um clima de acolhimento, em que a família e a criança sintam que existe um interesse real por si, enquanto pessoas, apostando nas suas capacidades e não nas dificuldades ou insuficiências, proporcionando um espaço de reflexão e encontro que permita a (re)construção da auto-imagem, a confiança e reforço das suas potencialidades.

O trabalho quotidiano com as famílias e as crianças desenvolve-se numa dinâmica relacional de respeito pelo ser e saber de cada um, no respeito pela sua individualidade e matriz sociocultural.

1 - Os pedidos de intervenção podem ser efetuados por:

  • Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), cujas medidas de promoção e proteção recomendam apoio especializado de natureza psicossocial ou psicopedagógico;
  • Equipas de Apoio aos Tribunais de Lisboa (EATL), ou outras instituições similares;
  • Agrupamentos de escolas e jardins de infância;
  • Serviços da Comunidade (Saúde, Santa Casa da Misericórdia,...), com crianças a frequentarem estabelecimentos de ensino do pré-escolar e/ou 1º Ciclo, que se integram no perfil de respostas prestadas pela Casa da Praia;
  • Serviços de saúde (Centros de saúde da área geográfica de intervenção e Departamentos de Pedopsiquiatria do Hospital São Francisco Xavier e do Hospital D. Estefânia); -- Famílias; - Entidades da área geográfica abrangida.

2 - Processo de admissão

  • Pedido formal à Casa da Praia;
  • Avaliação Inicial;
  • Entrevista de acolhimento à família;
  • Observação psicopedagógica à criança, sinalizada;
  • Análise e discussão dos dados recolhidos em equipa, com supervisão pedopsiquiátrica;
  • Formulação da hipótese diagnóstica e do projeto de intervenção.

3- Apresentação e Discussão do projeto de intervenção com a família das crianças sinalizadas:

  • A Implementação do Projeto de Intervenção decorre, após concordância da família, da elaboração de um Plano Individual de Apoio à Família (PIAF) e/ou à criança, de forma articulada com outros serviços e recursos da comunidade envolvidos;
  • A reavaliação do PIAF realiza-se, periodicamente, com todos os intervenientes e, quando necessário, com supervisão médica especializada.

 

Facebook Twitter Google+ Pinterest LinkedIn
×

Log in