Nota biográfica de João dos Santos

DOUTOR JOÃO DOS SANTOS (1913-1987)
 

Médico, psiquiatra, psicanalista e pedagogo, pioneiro da moderna saúde mental infantil e juvenil em Portugal. Fundador de várias obras e instituições. Autor de diversos trabalhos publicados em vida e de outros posteriormente revistos e divulgados por profissionais de diversas áreas.


1913 - Nasce em Lisboa.

1936 - Termina o curso de professor de Educação Física 8antigo ISEF, atual FMH).

1939 - Termina o curso de Medicina, especializando-se em psiquiatria.

1945 – Trabalha nos Serviços de Psiquiatria Geral do Hospital Júlio de Matos. Participa numa reunião do MUD (Movimento de Unidade Democrática), subscrevendo o pedido de eleições livres.

1946 – É demitido do cargo de 1º Assistente do Hospital Júlio de Matos e impedido de entrar em qualquer hospital, ficando desempregado. Vai, então, para França, durante quatro anos, onde trabalha, com o estatuto de funcionário público, com grande vultos da Psicologia, Psiquiatria e Psicanálise (nomeadamente no Centro de Pesquisas Científicas de Paris).

1947 – É admitido pela Comissão de Ensino da Sociedade Psicanalítica de Paris, pertencendo à segunda geração de psicanalistas franceses ligados a Freud.

1950 – Regressa a Portugal, onde trabalha na clínica privada de Barahona Fernandes.

1951-52 – Funda e dirige os dois primeiros Centros Psicopedagógicos em Portugal: na Voz do Operário e no Colégio Moderno.

1952 – Participa na criação da Secção de Higiene Mental no Centro Sofia Abecassis.

1954 – Participa na fundação do Colégio Claparède.

1955 – Conjuntamente com Henrique Moutinho e Maria Amália Borges, criou o Centro de Recuperação Visual (mais tarde Centro Helen Keller). É readmitido, oficialmente, no Hospital Júlio de Matos, passando a dirigir a sua Secção Infantil.

1956 – Participa na fundação da Liga Portuguesa de Deficientes Motores.

1958 – Participa na fundação da Associação Portuguesa de Surdos e a Secção de Paralisia Cerebral.

1964 – Apresenta um plano para a organização do Centro de Saúde Mental Infantil de Lisboa, iniciativa percursora no sector da Psiquiatria em Portugal.

1965 - É criado o Centro de Saúde Mental Infantil de Lisboa e nomeado seu Director, cargo que ocupa até à sua jubilação dos cargos públicos, em 1982.

1968-1973 – Ministra o Curso de Saúde Mental, na Escola Nacional de Saúde Pública.

1971 – Participa na fundação da Liga Portuguesa Contra a Epilepsia.

1973 – Participa na fundação da Sociedade Portuguesa de Psicanálise. 

1974 – Integra a Comissão encarregada pelo Ministério dos Assuntos Sociais de estudar e regulamentar uma política de protecção da maternidade e da primeira infância.

1975 – Cria um novo Serviço no Centro de Saúde Mental Infantil de Lisboa, a Casa da Praia (que existiu como estatal até 1992, altura em que foi extinto, tendo prosseguido, com os mesmos objectivos, como Instituição Particular de Solidariedade Social).

1979 – É encarregado do Curso de Psicopatologia Dinâmica da nova Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, onde lecciona até 1982.

1982 – Compila os artigos da sua coluna do “Jornal da Educação”, assim como outros que escrevera desde 1953, e que foram publicados em dois volumes, com o título “Ensaios da Educação”.

1983 – Realiza, na Rádio Comercial, uma conversa semanal com João Sousa Monteiro, que ficaram registadas em dois livros – “Se não sabe porque é que pergunta” e “Eu agora quero-me ir embora”.

1985 – É-lhe atribuído o título de Doutor Honoris Causa pela Faculdade de Motricidade Humana, da Universidade Técnica de Lisboa.

1987 - Morre em Lisboa, no dia em que dá por terminada a sua última obra “A Casa da Praia – o psicanalista na escola”.




OBRA DE JOÃO DOS SANTOS 

  1. Funda a Secção de Higiene Materno-Infantil de Campo de Ourique, mais tarde chamado Centro Sofia Abecassis, onde, pela primeira vez, em todo o mundo, se aplicou um programa de Saúde Mental para a primeira infância.
  2. Funda o Colégio Eduardo Claparède destinado a crianças-problema e onde se iniciou em Portugal o primeiro Seminário Psicopedagógico e uma Escola de Pais.
  3. Com a pedagoga M. Amália Borges, cria em 1954 os dois primeiros Centros Psicopedagógicos existentes em Portugal: nas escolas da mais importante associação operária “Voz do Operário” (cerca de 1200 alunos) e no colégio privado “Colégio Moderno” (cerca de 500 alunos).
  4. Cria a Liga Portuguesa de Deficientes Motores (1956), associação que, um ano mais tarde cria a secção de Paralisia Cerebral que deu lugar ao primeiro Centro de Paralisia Cerebral em Portugal.
  5. Com Henrique Moutinho cria a primeira classe para crianças amblíopes existente em Portugal e mais tarde (1956) o Centro Hellen Keller, destinado à prevenção, tratamento e reeducação de crianças deficientes visuais. Foi o primeiro centro no mundo que integrou na mesma escola crianças cegas, amblíopes e de visão normal.
  6. Participa na fundação da Associação Portuguesa de Surdos.
  7. Com Dora Bettecourt funda a Liga Portuguesa contra a Epilepsia (1968).
  8. Funda, com outros psicanalistas, a Sociedade Portuguesa de Psicanálise.
  9.  Colabora na criação do Centro de Saúde Mental Infantil de Lisboa de que foi o seu primeiro director. Aí existiram desde o início, equipas de serviço ambulatório no Dispensário Central e no Dispensário do Hospital Dona Estefânia, além da equipa das clínicas infantis do Hospital Júlio de Matos. Mais tarde foram criados outros serviços como o Laboratório de Electroencefalografia, Laboratório de Bioquímica, a Escola dos Cedros – serviço de adolescentes, a Casa da Praia – Externato de Pedagogia Experimental e a Unidade de Primeira Infância (UPI).
  10. É o sócio nº 1 do Instituto de Apoio à Criança (1983).



BIBLIOGRAFIA
 

 
Facebook Twitter Google+ Pinterest LinkedIn
×

Log in