Pedagogia Terapêutica

A Pedagogia-Terapêutica praticada na Casa da Praia é uma modalidade de intervenção multimodal, centrada na criança e na família, em articulação com as estruturas comunitárias. Neste modelo, a criança é vista numa perspetiva global, em termos do seu funcionamento psicológico e no contexto da dinâmica particular da sua família. A Pedagogia-Terapêutica constitui um meio de intervenção privilegiado junto de crianças pouco estruturadas do ponto de vista do seu mundo interno, muitas vezes relacionadas com disfunções familiares significativas.


São crianças que por razões de ordem emocional,  muitas vezes coincidente com outras de ordem social, não conseguem estabelecer uma relação afetiva profunda com as pessoas do seu envolvimento familiar, sobretudo nos primeiros anos de vida, podendo evoluir sem se fixarem bastante em alguma etapa evolutiva, o que vem, posteriormente, a constituir lacunas na sua evolução. Possuem um potencial de base para poder aprender e relacionar-se mas com uma recusa muito evidente pelo pensar, imaginar e comunicar. Refugiam-se, na sua maioria, num agir expresso em sintomas de agressividade e instabilidade ou numa forte inibição relacional associados a uma auto imagem desvalorizada, insegurança e tristeza camuflada.


A Pedagogia Terapêutica baseia-se na observação sistemática da criança e avaliação de resultados, utilizando os meios da pedagogia (as atividades de livre expressão – oral, gráfica, plástica, corporal, … ) não propriamente para avaliação dos saberes escolares, mas como instrumentos ao dispor da criança do ponto de vista projetivo e do seu funcionamento mental. Os problemas emocionais de cada uma são tratados por educadores e professores através de uma pedagogia que é terapêutica porque tem em conta a fase de comunicação em que a criança se encontra e a relação que estabelece com o outro, permitindo-lhe a reconstrução de etapas do desenvolvimento que não foram devidamente experimentadas ou vividas.


A Casa da Praia procura proporcionar um espaço relacional de confiança e um clima organizacional de acolhimento, bem estar, segurança e previsibilidade, promotores tanto de uma melhoria do funcionamento afetivo e cognitivo da criança, como da sua auto imagem e confiança. A própria instituição é também ela terapêutica pois valoriza e organiza as atividades da criança implicando todos os adultos que ali trabalham.

É a partir do ponto de desenvolvimento que a criança se situa que se inicia um trabalho reconstrutivo da sua história pessoal, que lhe permita desenvolver um sentimento de identidade  individual e um sentido de pertença a um núcleo familiar (família biológica ou outros adultos de referência).

As formas possíveis de intervenção são diversas, partindo sempre de um trabalho com a criança que é simultaneamente pedagógica e terapêutica, em sentido amplo. O trabalho com as famílias, ou com os adultos que delas cuidam, é um dos elementos chave da intervenção, sempre realizada numa perspetiva da sua relação com a criança, no sentido de os sensibilizar para aspetos relacionados com a sua capacidade e qualidade parental.

O texto original “A Pedagogia-Terapêutica” de João dos Santos (1976) foi publicado no “Segredo do Homem é a Própria Infância”, 2005, Assírio e Alvim. 

Facebook Twitter Google+ Pinterest LinkedIn
×

Log in