Apoio à Família

Ajudar a criança é ajudar a família de onde ela provém. Uma criança  não se pensa isoladamente, ela é sempre fruto de tudo aquilo que e de quem a envolve.

Os fatores que subjazem às crianças sinalizadas são, na sua maioria, resultado direto de importantes e repetidas fragilidades familiares com risco de perpetuação transgeracional. Intervir, pois, junto da família é uma possibilidade de quebrar ciclos, evitando situações extremas, como o recurso à institucionalização.

O sucesso da intervenção junto das famílias exige, por parte dos técnicos disponibilidade para as acolher ouvir e entender na sua linguagem e experiência, numa atitude de compreensão sem julgamento. 


A intervenção na família é, pois, guiada por alguns  princípios  orientadores:

  • Família como um sistema;
  • A individualidade de cada família;
  • Clima relacional de confiança;
  • Envolvimento todos os elementos da família;
  • Valorização das competências e capacidades.

As famílias podem ser apoiadas em:

  • Consultas de acolhimento, de orientação e aconselhamento individual;
  • Consultas/sessões terapêuticas (individuais);
  • Sessões de orientação e aconselhamento familiar individualizadas;
  • Sessões temáticas com grupos de pais (podendo ser abertas à comunidade);
  • Sessões de auto-ajuda em pequeno grupo;
  • Ações de formação parental;
  • Ações partilhadas entre pais e filhos.

 

A Casa da Praia foi muito importante para a família toda. Eu vim cá com a minha filha. […] Ela sempre pensou que eu estava contra ela… mas agora viu que não era verdade. Até já fez um curso e arranjou trabalho. Eu também já mudei um bocadinho e sinto que as responsabilidades são maiores. (avó de criança apoiada na C. Praia) 
"É necessário dar atenção a quem pede […] É um trabalho que exige aprender com eles (pais) a sua linguagem, a sua experiência…para evitar o falhanço das boas intenções” (J. Santos, 1988).

 

 

Facebook Twitter Google+ Pinterest LinkedIn
×

Log in